Entrevista: EBP Brasil

Em uma entrevista exclusiva ao Portal Energia e Biogás, a EBP Brasil apresenta a sua história, as suas soluções na área do biogás e destaca os desafios e algumas das principais tendências do mercado brasileiro de biogás. Confira esse super bate-papo como Vinícius Ambrogi e Wagner Pisciottano.

Entrevista: EBP Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Entrevista

Série BiogásBusinessBrasil

Biogás Business Brasil

A Série tem por objetivo oportunizar um espaço para apresentar empresas e empreendedores que se destacam com soluções para o mercado de digestão anaeróbia e produção de biogás.

Novo episódio: EBP Brasil

Foto: Divulgação/ EBP Brasil

Portal Energia e Biogás: Para os leitores que ainda não conhecem a EBP Brasil, poderia nos falar um pouco sobre a história da empresa, atuação no Brasil e a sua presença internacional, especialmente na área de biogás?

Vinícius Ambrogi: A EBP Brasil é uma empresa independente, de consultoria e engenharia ambiental, especializada em tecnologias e soluções ambientais. Com sede em São Paulo e escritório avançado em Belém no estado do Pará, e Nova Lima em Minas Gerais.

Foi fundada no Brasil em 1979 e tem fornecido, desde então, um amplo espectro de serviços na área de meio ambiente e sustentabilidade em vários países da América Latina.

Desde 2014 a EBP Brasil pertence ao Grupo internacional EBP Global com sede em Zurique, com escritórios em Berlim, na Alemanha, em Boston, nos EUA, em Santiago, no Chile e Shenzhen, na China.

A experiência da EBP se concentra nas áreas de energia, real estate, remediação ambiental, projetos de aterros industriais e sanitários, implantação e monitoramento de aterros e confinamento geotécnicos, remoção de resíduos e solos contaminados, planos de gerenciamento de resíduos, estudos de recursos hídricos, modelamento de contaminações, diagnóstico de impactos ambientais (ar, solo e água), gestão hídrica, inventários de gases de efeito estufa e poluentes atmosféricos, pegada de carbono, pegada hídrica, planos de sustentabilidade, licenciamento ambiental e consultoria em análise de riscos climáticos e ambientais.

Em projetos de digestão anaeróbia possui experiência de 15 anos com acesso as mais novas tecnologias disponíveis no mercado, além de um corpo técnico qualificado a atender as demandas e complexidades do processo. As atividades desenvolvidas pela EBP Brasil para projetos de digestão anaeróbia compreendem a realização de testes laboratoriais, ensaios e testes pilotos, projeto de engenharia conceitual, engenharia básica e executiva, levantamento de custos, acompanhamento das obras, comissionamento das plantas e o fornecimento da garantia de processo e de funcionamento das plantas.

Portal: Qual é o número total de colaboradores da EBP Brasil e como é composto o perfil do time de colaboradores e executivos, tanto no Brasil quanto no exterior? 

Vinícius Ambrogi: Ao todo, a EBP Global conta com uma equipe de aproximadamente 600 colaboradores altamente qualificados, sendo que 150 na EBP Brasil. De modo geral, a empresa é constituída por geólogos, geógrafos, engenheiros químicos, engenheiros civis e ambientais, dentre outros especialistas que formam equipes interdisciplinares orientadas para cada tipo de projeto. Os líderes das equipes são profissionais experientes, gestores eficazes e hábeis comunicadores.

A equipe multidisciplinar de especialistas promove a integração técnica entre as mais diversas áreas, oferecendo soluções diferenciadas e únicas. Toda a equipe está diariamente envolvida no desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias, criando constantemente para os clientes, soluções competitivas e economicamente sustentadas. A EBP Brasil possui experiência comprovada, com realização de projetos nos diversos estados brasileiros.

No setor de digestão anaeróbia, a EBP Brasil conta com mestres e especialistas dedicados no desenvolvimento das tecnologias da cadeia produtiva do biogás, criando constantemente para os clientes, soluções competitivas e economicamente sustentáveis. 

 

Foto: Divulgação/ EBP Brasil

Portal: Quais são as principais soluções que a empresa oferece para o mercado de biogás?

Vinícius Ambrogi: Dentre os trabalhos desenvolvidos e de escopo da atual EBP Brasil estão:

    • Avaliação do Potencial Bioquímico de Metano;
    • Avaliação da digestão anaeróbia em reatores de bancada;
    • Avalição da digestão anaeróbia em reator piloto;
    • Projetos de viabilidade técnica e econômica;
    • Estimativa de CAPEX e OPEX;
    • Execução de projetos de engenharia básica;
    • Execução de engenharia conceitual;
    • Acompanhamento de obras;
    • Treinamentos para a digestão anaeróbia;
    • Consultoria para plantas já existentes.

A EBP realizou vários estudos de viabilidades técnicas com os mais diversos resíduos orgânicos, tanto em situações de monosubstratos como também a composição deles. Trabalhamos para os setores da indústria de curtume, bebidas, sucos, frigoríficos, granjas, fecularia, etc. A EBP também desenvolveu avaliações técnicas de plantas de biogás instaladas em nosso território para clientes com interesses em M&A. 



Portal: Quais são os cases de projetos de geração de biogás que a EBP Brasil poderia destacar, descrevendo soluções recentes que a empresa projetou ou implementou para contribuir para a geração de energia renovável e para a redução de impactos ambientais?

Wagner Pisciottano: Dentre os projetos de digestão anaeróbia desenvolvidos pela EBP Brasil, o destaque é para:

»» Projeto Conceitual e Básico para Planta de Biogás, com substratos de dejetos orgânicos (restaurante interno da fábrica e poda de jardinagem) de uma montadora de automóveis na Grande São Paulo. Objetivo do projeto: sustentabilidade para com os resíduos gerados em planta e uso do biogás para energizar unidade escolar voltada para ensino técnico dos filhos de funcionários. Capacidade da Planta:0,5 MW;

»» Projeto Conceitual e Básico para Planta de Biogás, utilizando dejetos orgânicos (bagaço de frutas) de uma empresa alimentícia no interior de São Paulo. Objetivo do projeto: equacionar o problema de destinação de resíduos orgânicos provenientes da operação com frutas cítricas, com utilização do biogás gerado para produção de calor para a fábrica. Capacidade da Planta: 8,0 MW;

»» Projeto Conceitual, Básico e Executivo para Planta de Biogás utilizando resíduos orgânicos de diversas indústrias alimentícias de uma região no Sul do Brasil. O processo de digestão anaeróbia faz parte de um projeto maior de compostagem, com produção de biofertilizante para agricultura local.  Capacidade da Planta: 6 MW;

»» Estudos de viabilidade para diversos resíduos orgânicos, entre eles: resíduos de curtumes, resíduos a base de glicerina e vinhaça, cama de aviário, resíduos da indústria de mandioca, etc.;

»» Projetos conceitos e estudos de viabilidade técnica e comercial para unidades de digestão anaeróbia anaeróbica de resíduos da indústria de alimentos para as regiões Sul, Nordeste e Sudeste do Brasil.

É importante ressaltar que todos os projetos descritos acima apresentavam payback simples entre 2 e 4 anos.


Portal: Quais são as principais análises de laboratório realizadas pela EBP para a caracterização da carga orgânica dos resíduos e avaliação do potencial de produção de biometano?

Wagner Pisciottano: A EBP Brasil com parceria com o Laboratório VSOL realizam ensaios de digestão anaeróbia para a determinação do potencial de produção de biogás dos substratos, bem como ensaios de bancada e piloto, além das análises de caracterização físico-química e cromatográficas.

Foto: Divulgação/ EBP Brasil

Portal: Quais são os principais desafios a serem superados no Brasil para impulsionar a expansão do setor de biogás? Quais são os gargalos que impedem um maior desenvolvimento desse mercado promissor de energia renovável?

Vinícius Ambrogi: Apesar de ser uma tecnologia antiga, os incentivos fiscais e políticas públicas estão em fase inicial no Brasil, o que gera receio por parte dos investidores quanto a incerteza destes projetos. Além disso, existem questões pontuais referentes a tecnologia e processo que demandam de otimizações e desenvolvimento.

Com relação a tecnologia, há a necessidade de otimizações que devem estar alinhadas com o projeto e tropicalizadas de acordo com a realidade local. Por isso, a EBP Brasil, uma empresa de consultoria e engenharia ambiental, é capaz de analisar diferentes tipos de projetos para consolidar a tecnologia adequada a cada cenário.

Do mesmo modo, sabemos que a aplicação de biomassa lignocelulósica ainda é fator limitante para as plantas de digestão anaeróbia, apesar do aumento expressivo de pesquisas que objetivam viabilizar a utilização destes resíduos como matéria prima. O aporte do conhecimento internacional neste tema é fundamental para a otimização dos processos e o melhor retorno de investimentos.

A utilização do digestato como biofertilizante e as certificações ambientais (CBIOS, RECs e créditos de carbono) ainda não estão consolidadas no país quanto a sua utilização e preços aplicados. Neste contexto, a destinação do digestato e as receitas com as certificações são parâmetros sensíveis na viabilidade de projetos de biogás. 

Portal: Quais foram os principais desafios enfrentados pela EBP para se consolidar no mercado brasileiro? Como a empresa superou esses obstáculos e se adaptou ao cenário local?

Wagner Pisciottano: O mercado brasileiro potencial para a produção de biogás pelo processo de digestão anaeróbia se baseia nos setores industriais e da agricultura. O tema biogás tem sido compreendido no Brasil, sendo ainda existentes muitas oportunidades pouco exploradas, entretanto, o custo de capital associado à um desconhecimento dos reais potenciais da tecnologia tem dificultado em se ter maior velocidade na implantação de unidades produtivas no país.

A EBP Brasil tem atuado desde os anos de 2007/2008 na difusão do conhecimento da digestão anaeróbia ao mercado nacional, desenvolvendo seminários e discussões técnicas sobre o tema.


Portal: Como a EBP enxerga a importância estratégica do biogás/biometano em seu portfólio de soluções em energia? De que maneira a empresa está se posicionando para aproveitar as oportunidades nesse mercado em crescimento?

Wagner Pisciottano: A EBP Global possui em sua estratégia o fortalecimento de sua presença em tecnologias que visem o desenvolvimento sustentável da humanidade. Dentro desta estratégia, o biogás, assim como outras tecnologias e soluções, é um tema de elevada aderência e para o qual a EBP Brasil já tem trabalhado desde há muitos anos.


Portal: Quais são as perspectivas e planos da EBP Brasil para o mercado de biogás nos próximos 5 anos no Brasil? A empresa tem alguma estratégia específica para ampliar sua participação nesse setor em expansão?

Vinícius Ambrogi: A EBP Brasil mantém em seu plano estratégico os serviços e a presença no tema biogás. Nossa visão está pautada nos benefícios ambientais da tecnologia que associam uma menor emissão de gases de efeito estufa com um reaproveitamento do carbono contido em resíduos que se transformam em energia e fertilizante.

O mercado de biometano tem sido incorporado ao mercado de gás natural, esta tendência é bastante perceptível e plausível, uma vez que do ponto de vista das moléculas, o metano é o mesmo elemento químico, seja ele advindo de fontes renováveis ou não. O biogás tem especificidades técnicas próprias como contaminações do gás, concentração de metano no biogás e estabilidade na produção, seja do ponto de vista pela entrada de insumos, seja pela própria condição de processo produtivo.

A EBP Brasil busca apresentar soluções integradas e sustentáveis ao mercado sempre pautadas pela adoção das tecnologias mais eficientes e confiáveis disponíveis no mercado. Para isso temos conhecimento das diferenças e possibilidades que este mercado oferece e está apta a auxiliar o setor para uma produção de biogás ou biometano eficientes e confiáveis.

Portal: De que maneira a EBP Brasil pode auxiliar instituições e empresas que geram resíduos, mas ainda não produzem biogás, contribuindo para que essas organizações alcancem maior eficiência energética e sustentabilidade?

Wagner Pisciottano: O primeiro passo é averiguar e saber se o resíduo é biodegradável e se possui viabilidade de produção de biogás. Muitas vezes o resíduo tem boa capacidade de degradação, porém possui uma taxa de conversão em metano muito baixa e economicamente inviável. Quando isso ocorre é possível lançar mão de outros substratos em adição a esses resíduos que contribuem para aumentar essas taxas de produção de biogás. Assim, um estudo de Viabilidade Técnica é sempre recomendável, onde na ocasião poderão ser verificados disponibilidade de resíduos a serem processados, taxas de conversão, opções de utilização do metano na empresa, investimentos e retornos.

Portal: Para finalizar, com o aumento da preocupação ambiental e a busca por fontes de energia renováveis, como está o cenário atual no Brasil para investimentos em negócios na área de biogás? É um momento favorável para empreender nesse setor?

Vinícius Ambrogi: O setor de negócios para investimento na área do biogás tem ganhado destaque no mercado brasileiro após a instituição do Programa Nacional de Redução de Emissões de Metano – Metano Zero (Portaria n°71/2022 – MMA). Dentre as principais diretrizes, está o incentivo ao mercado de carbono, em especial o crédito de metano, o fomento de planos e acordos setoriais, além da promoção de cooperação nacional e internacional para o financiamento, capacitação, desenvolvimento, transferência e a difusão de tecnologias e de processos para a implementação de ações de redução de emissões de metano.

Com isso, o desenvolvimento de processos tecnológicos com foco na conversão de resíduos em biogás se torna atrativo para investidores do setor de energias renováveis por enxergá-los como investimento futuro no mercado de negócios externo.

Os riscos climáticos estão se tornando grandes preocupações para as empresas é um tópico importante das conferências globais, através de acordos e metas que visam minimizar as emissões de gases de efeito estufa (GEE), principalmente dióxido de carbono e metano. Estamos em um momento promissor para o desenvolvimento de projetos de digestão anaeróbia, no qual estes projetos convergem para o desenvolvimento econômico e ambiental.

Saiba mais:

EBP Brasil Consultoria e Engenharia Ambiental Ltda

    • EBP Brasil/Novos negócios: vinicius.ambrogi@ebpbrasil.com.br
    • EBP Brasil/Vendas: wagner.pisciottano@ebpbrasil.com.br
    • https://www.ebpbrasil.com.br/pt-br/contato

AGRADECIMENTOS

O Portal Energia e Biogás® agradece em nome do Vinícius Ambrogi, Wagner Pisciottano, João Alino, assim como aos demais colaboradores da EBP Brasil, pelas valorosas contribuições para desenvolvimento dessa entrevista exclusiva. 

Sobre a série BiogásBusinessBrasil

A Série é uma iniciativa do Portal Energia e Biogás® com o objetivo de oportunizar um espaço para apresentar empresas e empreendedores que se destacam com soluções para o mercado de digestão anaeróbia e produção de biogás.

São soluções para redução de passivos ambientais por meio da digestão anaeróbia, produção de bioenergia, produção de biofertilizante e desenvolvimento de novos modelos de negócios baseados na produção de biogás. Esses são alguns exemplos de ações estratégicas para processo de descarbonização e economia circular que muitas empresas demandam e algumas já adotaram.

Conheça um pouco da jornada de empresas/empresários que buscaram informações, estabeleceram metas, atuaram com planejamento e monitoramento sistemáticos para desenvolver oportunidades. Encararam desafios que demandaram iniciativa, persistência, comprometimento, independência, autoconfiança e persuasão. Com muita empatia conseguiram estabelecer uma rede de contatos essenciais para seus negócios e passaram a desenvolver projetos com exigência de qualidade e eficiência. Hoje conseguem entregar excelentes resultados, graças a experiência e conhecimentos calibrados para minimizar riscos.

Nessa temporada 2023, entrevistas com grandes empresas e empresários de destaque no setor do biogás.

Aguarde, em breve novos episódios! 

Gostou do assunto?

Quer saber mais sobre o biogás no Brasil?



Todos os direitos reservados - Portal Energia e Biogás®.

AVISO! O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.