Setor energético passa por revolução para se tornar mais sustentável, flexível e eficiente

Na abertura do Congresso Ecoenergy os especialistas convidados traçaram um panorama da matriz elétrica brasileira.

Setor energético passa por revolução para se tornar mais sustentável, flexível e eficiente
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil
Ecoenergy 2022 - Feira e Congresso

Setor energético passa por revolução para se tornar mais sustentável, flexível e eficiente

Na abertura do Congresso Ecoenergy os especialistas convidados traçaram um panorama da matriz elétrica brasileira.

Nesta terça-feira (7 de junho de 2022), na abertura do Congresso Ecoenergy – Feira Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia, os especialistas convidados traçaram um panorama da matriz elétrica brasileira. Todos concordaram em um ponto: embora o País esteja bem posicionado no setor, há diversos desafios de curto e longo prazo para que os consumidores tenham acesso à energia limpa de forma sustentável e econômica.
 

"O Brasil está na vanguarda, o desafio é evoluir na transição e diversificação, e integrar novas tecnologias para permitir que todos tenham acesso à energia limpa de uma forma sustentável e econômica", afirmou Thadeu Silva, Chief Generation Officer da Cemig. Ele mencionou como tendências a captura do CO2 da atmosfera para transformá-lo e reutilizá-lo, o hidrogênio verde e o biogás - isso é, a geração de energia a partir de aterros sanitários.
 

Marcos Meireles, CEO Rio Energy, centrou sua apresentação no contexto global, mais volátil, incerto e complexo, mas, ao mesmo tempo, com uma sociedade cada vez mais ciente de sua responsabilidade. "O mundo está sendo empurrado para a sustentabilidade, e isso se vê especialmente no setor energético", disse. "Nos últimos cinco anos -- e isso foi muito rápido -- as fontes de energia limpa, como solar e eólica, se tornaram mais eficientes e competitivas que as fontes fósseis".
 

Segundo Meireles, o cliente exige não só respeito aos requisitos ESG, mas deseja também eficiência, comodidade, flexibilidade e liberdade de escolha. Isso tem feito com que o setor energético aposte em descarbonização, descentralização, digitalização e democratização. "Nosso modelo de negócio vem migrando do B2B para o B2C, do foco no produto para o foco no serviço -- se desvencilhando da comoditização - e da geração centralizada para a distribuída", explica.
 

Essa migração só é possível com a ajuda das novas tecnologias, cada vez mais inseridas nos processos das empresas de energia. São ferramentas como big data, inteligência artificial, internet das coisas, data science e blockchain, que, de acordo com Meireles, permitem que se entregue ao cliente um serviço efetivo e de qualidade, seja ele quem for.

 

Pesquisas no campo da energia precisam se transformar em negócios sustentáveis, defendem especialistas


No painel do Congresso Ecoenergy dedicado à Pesquisa & Desenvolvimento, os palestrantes enfatizaram a importância de fomentar a cooperação e de fechar os elos entre soluções, pessoas e resultados.
 

"As soluções que nascem em centros de excelência precisam ser adaptadas e oferecidas ao mercado. As pesquisas do campo da energia devem se transformar em negócios, em nota fiscal", afirmou José Bione de Melo Filho, Gerente de P&D da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Ele deu como exemplo o hub de inovação recentemente criado pela Chesf que toma proveito dos talentos locais -- estudantes, acadêmicos, pesquisadores - e tem como foco atender demandas das empresas.
 

De acordo com Luiz Fernando Vianna, CEO Lactec, as grandes companhias têm revisto estruturas internas para acelerar a inovação. "A pesquisa é integrada aos processos e os projetos têm seus prazos reduzidos", disse. Ele ressaltou, porém, que o Brasil tem ido na contramão do mundo: na pandemia, muitos setores receberam incentivos, mas o de ciência e tecnologia conviveu com cortes.

Eduardo Lima, Gerente de P&D do Instituto Eldorado, e Rosário Cannata, executive investment manager da EDP Ventures, teceram elogios ao conceito de ciência aberta, mas destacaram que é preciso desburocratizar. "Políticas de financiamento têm que acompanhar a velocidade da inovação. E o Brasil precisa, rapidamente, começar a aproveitar mão de obra qualificada que possui -- do contrário, ela vai embora", afirmou Lima.
 

Baterias que duram até cinco anos

A PowerSafe, importadora e distribuidora de baterias especiais, trouxe para a área de exposição da Ecoenergy baterias que se encaixam perfeitamente para aplicações de energia solar, como a Freedom e a Get Power. Segundo a empresa, elas duram até quatro vezes mais tempo que as concorrentes -- entre quatro e cinco anos.
 

Outra vantagem de seus produtos é o chamado "Power Frame" que evita a corrosão das grades e prolonga a vida útil. De acordo com a empresa, a boa resposta do mercado às baterias se deve a qualidades como segurança, autonomia e desempenho.
 

Greenpeace usa realidade virtual

A renomada ONG decidiu explorar uma nova tecnologia -- a realidade virtual -- para mostrar aos visitantes a degradação dos nossos oceanos, provocada em grande medida por ações dos seres humanos.

O objetivo com a ação é promover a conscientização de empresas e consumidores, e reforçar a importância da energia sustentável para a preservação do meio ambiente.

Parceria Exclusiva: PORTAL ENERGIA E BIOGÁS x CONGRESSO ECOENERGY 2022

USE O CUPOM: PE&B10 e garanta agora mesmo a sua vaga no Congresso Ecoenergy!

QUERO USAR O MEU CUPOM

Próximos Painéis

Um dos destaque da programação de quinta-feira, 09 de junho será o Painel Biogás e Biometano - As Novas Apostas para o Mercado de Energia Limpa, com a presença confirmada dos painealistas:  

    • Rafael Gonzalez - Diretor Presidente, CIBiogás
    • Tamar Roitman - Gerente Executiva, ABiogás
    • Thiago Gonzalez - Partner & CTO, EnerDinBo

Informações

Ecoenergy -- Feira Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia

Data: 7 a 9 de junho

Horário: das 13h às 20h

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rod. dos Imigrantes, km 1,5 - Vila Água Funda, são Paulo - SP

 

Sobre a Fiera Milano Brasil 

A Fiera Milano Brasil, filial brasileira da Fiera Milano, um dos maiores players de feiras e congressos do mundo que a cada ano atraem aproximadamente 30 mil expositores e mais de cinco milhões de visitantes, tornou-se sócia majoritária da Cipa do Brasil em 2011, dando origem à Cipa Fiera Milano, e a partir de 2022 à Fiera Milano Brasil. No Brasil, são realizadas nove feiras que representam os mais diversos segmentos da economia, como segurança, energias limpas e renováveis, tubos e conexões, cabos, saúde no trabalho, tratamentos de superfície, esquadrias, tecnologias em reabilitação, inclusão e acessibilidade, entre outras. Entre as principais marcas do portfólio estão Exposec, Fisp, Fire Show, Fesqua, Ecoenergy, Reatech e Ebrats.

Informações para Imprensa: 2PRÓ Comunicação - Myrian Vallone | Teresa Silva | E-mail equipe: fieramilano@2pro.com.br | (11) 3030-9463

Gostou do assunto?

Quer saber mais sobre o biogás no Brasil?



Fonte: Fiera Milano Brasil. Publicado em: 7 de junho de 2022.

O Portal Energia e Biogás ® apoia a realização da 9ª Ecoenergy – Feira Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis.