Claro inaugura a maior usina do mercado de Geração Distribuída do Brasil movida a biogás

Operada pela RZK Energia, a usina de biogás instalada em Nova Iguaçu (RJ) gera eletricidade a partir de resíduos orgânicos, como lixo de aterro sanitário, e tem capacidade de 4,65 MWm

Claro inaugura a maior usina do mercado de Geração Distribuída do Brasil movida a biogás
Claro inaugura a maior usina do mercado de Geração Distribuída do Brasil movida a biogás
Brasil
Assessoria de Imprensa

Claro inaugura a maior usina do mercado de Geração Distribuída do Brasil movida a biogás

A Claro conecta a maior usina em operação de Geração Distribuída (GD) do Brasil em capacidade instalada de potência. Construída e operada pela RZK Energia, empresa do Grupo Rezek, a nova usina é movida a biogás e tem autorização para gerar até 4,65 megawatts médios (MWm) de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da Claro, entre torres de telefonia, datacenters e outras estruturas operacionais da companhia.

A iniciativa integra o programa "A Energia da Claro", lançado em 2017, que prevê o uso de fontes renováveis e ações de proteção ao meio ambiente em todas as operações e instalações da empresa de telecomunicações no Brasil. Em 2020, o programa já alcançou a marca de 40% de geração própria de energia nas unidades de baixa tensão. Considerado o maior projeto de Geração Distribuída do Brasil, prevê a geração de energia limpa (solar, hidrelétrica, biogás e cogeração qualificada) para todas as concessionárias de energia elétrica e engloba ainda ações de mobilidade elétrica e de eficiência energética.

Além de adquirir energia no mercado livre, onde a empresa compra 100% de energia renovável, o programa conta com usinas em vários estados, como Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Piauí, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Sergipe, Alagoas, Ceará, São Paulo e no Distrito Federal e tem instalações em fase final de implantação, além de projetos em construção nas demais unidades federativas.

"A Claro tem o compromisso de reduzir a emissão de poluentes na atmosfera e, com isso, colaborar com o controle das mudanças climáticas. Estamos empenhados em nos tornarmos praticamente autossuficientes em energia de fonte limpa e, assim, colaborar com a preservação dos recursos naturais", diz Hamilton Ricardo Pereira da Silva, diretor de Infraestrutura da Claro.

Usina evitará emissão de 15 mil toneladas de CO2 por ano

Compacta (700 metros quadrados) e com baixa emissão de ruído, a central geradora da usina, localizada em Nova Iguaçu (RJ), é formada por um conjunto de quatro motores, que são interligados ao aterro municipal da cidade por meio de dutos. O aterro recebe diariamente 4.500 toneladas de resíduos de diversos municípios da Baixada Fluminense.

Além de reduzir os custos para o tratamento do lixo, a nova usina vai evitar que gases poluentes sejam despejados na atmosfera - o metano é um dos principais responsáveis pelo efeito estufa, fenômeno que impacta no aquecimento global. A expectativa é que, a operação de queima de biogás pela usina evitará a emissão de mais de 15.723 toneladas de gás carbônico em um período de um ano - isso equivale ao plantio de 122 árvores, que fariam a conversão de gás carbônico em oxigênio para a terra.

Na avaliação do sócio e diretor da RZK Energia, Luiz Serrano, o investimento privado na geração de energia a partir de fontes livres de carbono é uma tendência que ganha força no Brasil, tanto pelo ganho econômico que seu uso proporciona, como pelo lado sustentável ao não agredir o meio ambiente.

"É um mercado com franco potencial de desenvolvimento e expansão no Brasil com vantagens sob todas as perspectivas. São muitas as fontes alternativas de energia limpa que proporcionam uma melhor utilização dos recursos naturais, como é o caso da transformação do biogás em energia elétrica, ao mesmo tempo em que há ganhos visíveis em eficiência energética e em redução de custo para quem investe no formato de Geração Distribuída", afirmou Serrano.

O biogás gerado no aterro é o combustível da usina de energia elétrica

O biogás que move a usina é obtido por meio do gás metano (CH4) e do dióxido de carbono (CO2) liberados pelo lixo orgânico em decomposição no aterro sanitário. Depois de captado, o gás é processado e, finalmente, queimado por meio de um processo controlado de combustão para virar energia. Essa energia mecânica ativa um gerador que produz a energia elétrica. A usina tem capacidade para receber até 60.000 metros cúbicos de biogás por dia e passará 93% do seu tempo em geração ativa de energia.

Considerada uma fonte de energia renovável que não agride o meio ambiente, o biogás tem uma participação ainda pequena na matriz energética brasileira, embora o seu potencial de exploração seja elevado, sobretudo por meio de aterros sanitários em áreas urbanas. De acordo com dados do Ministério de Minas e Energia, o biogás e a biomassa (bagaço de cana) são responsáveis por quase 9% da energia gerada no país, mercado liderado pelas hidrelétricas (64%).

Modelo de Geração Distribuída reduz custos

A usina de biogás de Nova Iguaçu será operada no formato de Geração Distribuída (GD). Nesse modelo, a produção de energia é realizada próximo ao centro do consumo, o que reduz custos e evita perdas técnicas nos processos de distribuição e de transmissão, tornando a conta final mais barata, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável.

O investimento em fontes de energia limpa contribui não apenas na adoção de uma matriz renovável e ecologicamente correta, mas também com a criação de emprego e geração de renda para diversas famílias. No total, mais de 100 pessoas se envolveram direta ou indiretamente no processo de elaboração, construção e operação da nova usina de biogás.

Entrevista exclusiva para o Portal Energia e Biogás com o diretor da RZK Energia Luiz Serrano 

Portal Energia e Biogás: Quais foram os maiores desafios para o desenvolvimento desse projeto para a Claro?

Luiz Serrano: Os maiores desafios para desenvolver projetos de Geração Distribuída estão sempre relacionados aos da Fase de Desenvolvimento, que estão ligados à conexão elétrica da usina à rede de distribuição e, no caso do Biogás, que demanda atenção especial ao licenciamento ambiental, que embora  tenha-se mérito para ficar adimplente com todos os requisitos ambientais, são gerados diversos impactos positivos ao meio ambiente, como a redução de emissão de Gases do Efeito Estufa e a mitigação de efeito das Mudanças Climáticas.

Portal Energia e Biogás: Esse projeto poderá emitir certificados de redução da emissão de carbono?

Luiz Serrano: Esse projeto, contribui para a redução de emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) e, por sua vez, tem efeito mitigante e redutor dos efeitos das Mudanças Climáticas.

Portal Energia e Biogás: A RZK Energia tem uma estimativa da produção de biogás do aterro (em m³/ano) e qual percentual do biogás captado e destinado para a geração distribuída?

Luiz Serrano: O aterro tem uma produção de biogás estimada em 114.000.000 Nm³/ano. Biogás captado e destinado para o projeto de Geração Distribuída da RZK Energia: 22.000.000 Nm³/ano (valores arredondados).

Portal Energia e Biogás: O biogás, antes da queima, passa por algum processo de limpeza e purificação?

Luiz Serrano: O biogás passa por um sistema desumidificador para a remoção da umidade e do excesso de enxofre, além de filtros tipo cesto, para filtragem de particulado sólido.

Portal Energia e Biogás: Qual é o tempo de retorno do investimento, de um projeto como esse?

Luiz Serrano: Por ser uma informação de cunho estratégico, não costumamos divulgar informações financeiras dos projetos. No entanto, pode-se dizer que esse projeto comporta-se como outros do setor de infraestrutura, em especial aos das termelétricas movidas a combustíveis renováveis – ou seja, tem retorno em longo prazo.

Portal Energia e Biogás: A RZK Energia está desenvolvendo outros projetos de usinas de biogás?

Luiz Serrano: Sim, a RZK possui em seu portfólio outros projetos de Biogás que se somados ultrapassam a capacidade instalada da Usina de Nova Iguaçu.

Portal Energia e Biogás: Sobre o mercado de Biogás no Brasil, quais são as perspectivas que a RZK Energia tem para os próximos anos?

Luiz Serrano: as perspectivas são positivas. O setor vem sendo impulsionado pelos seguidos avanços nas políticas nacionais de gestão de resíduos sólidos, bem como de saneamento, que requerem maior atenção do setor público, o que inclusive atrai o setor privado em diferentes modelos de tratamento previstos por essas legislações. A legislação ambiental no Brasil sempre foi vista como uma das mais avançadas no Brasil, porém, na matéria de tratamento de resíduos sólidos, apenas a partir dos anos 2000 é que os avanços passaram a ser mais expressivos – fato este traduzido na expansão da geração de energia elétrica com base no Biogás de Aterro Sanitário.

A RZK Energia pretendo ao longo dos próximos anos expandir a sua capacidade nesta fonte de geração, pois entende que a fone é estratégica e competitiva.

--

Para mais informações sobre o programa ‘Energia da Claro’, acesse: www.claro.com.br/energia-claro

Sobre a Claro:

A Claro é líder em Telecomunicações na América Latina e uma das maiores operadoras de multisserviços do Brasil, presente em todas as regiões do país. Está em mais de 4.200 municípios brasileiros e suas redes disponibilizam serviços a mais de 96% da população. A Claro oferece soluções integradas de conectividade, entretenimento, produtividade e serviços digitais de forma verdadeiramente convergente, em várias plataformas fixas e móveis. Em 2019, a empresa criou o beOn Claro, seu hub de inovação, para facilitar, potencializar e conectar a inovação dentro e fora da companhia. A Claro é líder em TV por assinatura, banda larga e a operadora que mais cresce em serviços móveis. Por meio da Embratel, lidera também o segmento de serviços corporativos, que incluem ofertas em nuvem, telecom, TI e segurança de redes e aplicações. Foi pioneira na implantação de todas as gerações de internet móvel no Brasil, inclusive o 4.5G, que permite navegar 10x mais rápido que a rede 4G tradicional, e também na implantação do 5G DSS que, por meio de um recurso de compartilhamento de frequências que permite a utilização do espectro atual já alocado, oferece conexões até 12 vezes mais velozes que o 4G convencional. É líder em velocidade de conexão, tanto no celular como na banda larga residencial, com ultravelocidades. A Claro faz parte da América Móvil, com presença em 25 países, na América Latina e também na Europa e Estados Unidos. https://www.claro.com. Mais informações sobre a Claro: In Press Porter Novelli [email protected]

 

RZK Energia

A RZK Energia é uma empresa do Grupo Rezek, holding que há quase quatro décadas atua também nos setores de agronegócio, desenvolvimento imobiliário e desenvolvimento urbano. Com foco na geração de energia, comercialização e consultoria em eficiência energética, a RZK Energia constrói e opera plantas no mercado de geração distribuída, autoprodução e mercado livre por meio de fontes de energia limpa, alinhada às evoluções regulatórias, tecnológicas e no desenvolvimento sustentável. A empresa está presente nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal. Levando em conta suas usinas em operação e as que estão em construção, a capacidade é de 100 megawatts. Mais informações em https://www.rzkenergia.com.br/

Gostou do assunto?

Quer saber mais sobre o biogás no Brasil?




Fonte: Assessoria de Impressa - RZK Energia
Publicado em:  17 de junho de 2021.

Com exceção da entrevista exclusiva, esta notícia não é de autoria do Portal Energia e Biogás, desta forma, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são da Assessoria de Impressa.