eB Capital e Sebigas Cótica firmam parceria para revolucionar mercado de biogás no país

Criação do Bioo faz parte da tese de transição energética da gestora, que contempla um fundo de infraestrutura sustentável voltado a investimentos no setor.

eB Capital e Sebigas Cótica firmam parceria para revolucionar mercado de biogás no país
Foto: Divulgação/ Sebigas Cótica
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercado de Biogás
Novos Negócios

eB Capital e Sebigas Cótica firmam parceria para revolucionar mercado de biogás no país

Criação do Bioo faz parte da tese de transição energética da gestora, que contempla um fundo de infraestrutura sustentável voltado a investimentos no setor.

A eB Capital, gestora de investimentos alternativos, avança em nova tese de transição energética e anuncia investimento de R$ 600 milhões em plataforma de biosoluções para produção de biometano, gás carbônico e fertilizantes a partir de resíduos agroindustriais, em parceria com a Sebigas Cótica. O movimento integra um fundo destinado à infraestrutura sustentável da gestora, que tem como sócios Eduardo Sirotsky Melzer, Luciana Antonini Ribeiro e Pedro Parente.

Intitulada Bioo, a iniciativa contempla a criação de uma plataforma de biogás e tratamento de resíduo orgânico, em sociedade entre ambas as empresas, com controle da eB Capital. A plataforma foi concebida e terá a operação gerida pela Sebigas Cótica. Serão as primeiras usinas com estas características a tratar resíduos orgânicos industriais em larga escala no Brasil, mitigando gases de efeito estufa e auxiliando as empresas brasileiras em suas metas de descarbonização a aterro zero. Metade dos recursos financeiros (R$ 300 milhões) são oriundos de capital próprio e serão utilizados para concluir a construção da primeira planta e iniciar a estruturação e construção das demais unidades. Outros R$ 300 milhões estão sendo captados com instituições financeiras e fundos institucionais de organizações oficiais de fomento. A expectativa é que o montante total – R$ 600 milhões – esteja totalmente alocado até o final de 2025, mas a primeira unidade deve entrar em operação até o final do próximo ano, na cidade de Triunfo, no Rio Grande do Sul, estrategicamente posicionada ao lado do Polo Petroquímico do Sul. Esta primeira planta já possui contrato firmado com a distribuidora Sulgás para fornecimento do biometano gerado para injeção diretamente no gasoduto da companhia.

A eB Capital terá um papel ativo e colaborativo na construção da plataforma em parceria com a SebigasCótica, visando garantir a escalabilidade e expansão do negócio. Segundo a gestora, o mercado de Transição Energética no Brasil representa mais de R$ 130 bilhões em investimentos mapeados para os próximos cinco anos.

“A associação com a Sebigas Cótica está em linha com a nossa estratégia de investimento em negócios com grande potencial de crescimento ao passo que geram impacto positivo para sociedade, como o caso da energia limpa. Acreditamos no potencial do biogás como uma alternativa viável e economicamente atrativa, e estamos comprometidos em fortalecer esse mercado no País", afirma Pedro Parente, cofundador da eB Capital.

Referência no setor

A Sebigas Cótica é uma empresa que se destaca no mercado de energia renovável, especialmente na construção de plantas de biogás. Apresenta diferenciais como a construção da maior planta de biogás das Américas, localizada em Guariba - SP, e outros relevantes projetos, como planta de biometano com capacidade para produzir 80 mil m³/dia, em Piracicaba – SP e atuação com projetos em outros países da América do Sul. A partir de sua tecnologia e expertise na produção de biogás, a Companhia é uma referência no setor.

Com uma atuação consolidada em projetos de biogás no setor sucroenergético, a parceria com a eB endereça uma nova linha de atuação para a empresa. “A partir do nosso conhecimento e investimento no setor de tratamento de resíduos e produção de biogás, desenvolvemos um modelo de negócio que recicla o resíduo orgânico em sua totalidade, recuperando a energia disponível nele através do biogás e retornando os nutrientes para o solo por meio do biofertilizante produzido”, afirma Maurício Cótica, diretor executivo da Sebigas Cótica. “Com base nessa visão de negócio criamos o Bioo, uma plataforma de biometano e tratamento de resíduos que acelera e qualifica o tratamento de resíduo orgânico no Brasil. O Bioo se apresenta como uma solução de economia circular para atuar na mitigação dos gases de efeito estufa gerados pelos resíduos, em especial do metano, que é muitas vezes mais nocivo que o CO2. Essa é uma das metas assinadas pelo Brasil durante a COP26”, completa o executivo.


Mercado de Biogás

O biometano já é uma realidade em diversos países ao redor do mundo. Segundo a European Biogas Association, na União Europeia, por exemplo, existem mais de mil plantas em operação, e o setor cresceu 387% desde 2011. Apenas na França, há 921 plantas em construção. Na Dinamarca, 25% do gás natural já é biometano, enquanto na Suécia esse número chega a 20%.

Nos Estados Unidos, a capacidade instalada de biogás é de cerca de 2 GW, distribuída em mais de 500 projetos. O governo americano prevê incentivos fiscais de até 30% do valor do investimento para novos projetos no segmento, segundo o US Department of Energy.
De acordo com a Abiogás (Associação Brasileira do Biogás), no Brasil, o setor tem crescido a uma taxa anual de 20%, mas a capacidade atual representa apenas 3% do potencial brasileiro. Além disso, apenas 16% do biogás produzido provém de resíduos da agroindústria, e 22% do biogás é utilizado como biometano.

 

Saiba mais sobre:

Gostou do assunto?

Quer saber mais sobre o biogás no Brasil?



Copyright © 2018 - 2023 Todos os direitos reservados - Portal Energia e Biogás ®