O biogás e biometano na Europa

O biogás e biometano na Europa

Biogás e Biometano na Europa:Dinamarca, Alemanha e Itália lideram o desenvolvimento do mercado

 Em um artigo prublicado por Marc-Antoine Eyl-Mazzega e Carole Mathieu, do Instituto Francês de Relações Internacionais (IFRI), é apresentado uma analise dados do mercado europeu nos últimos 10 anos. Os líderes da UE são a Dinamarca (10% da rede de gás), a Alemanha (mais de 100.000 empregos diretos) e a Itália (centrada no setor dos transportes). O crescimento tem sido impressionante, mas será difícil de sustentar se os subsídios forem cortados cedo demais, dizem os autores.

Repetidamente, os legisladores em todo o mundo estão enfrentando a mesma questão: quais as tecnologias subsidiar e apoiar, quando e por quanto tempo manter esses subsídios.

Como definir esses custos e o momento que precisam serem reduzidos até desaparecerem, quando uma escala de consolidação do mercado for alcançada. A energia solar e a eólica estão a caminho para provar isso que é possível redução dos subsídios. E quanto aos biocombustíveis?

No momento em que a União Européia (UE) está discutindo sua estratégia climática de longo prazo e elaborando nova legislação para promover a descarbonização de seu setor de gás, uma análise detalhada da experiência da Dinamarca , Alemanha e Itália com a produção de gás renovável pode fornecer lições.

10 anos de biogás: Dinamarca, Alemanha e Itália lideram

Empenhada em alcançar a neutralidade do carbono até 2050 e enfrentar o esgotamento dos seus campos de gás no Mar do Norte, a Dinamarca tem um interesse claro em tornar os pilares centrais do biogás e do biometano no seu futuro sistema de energia inteligente. Da mesma forma, na Alemanha o foco na geração de eletricidade baseada em fontes renováveis ​​levou a um desenvolvimento robusto de usinas de biogás com conversão de eletricidade no local e unidades de geração combinada de calor e energia (CHP). Desta forma, a Alemanha se tornou - de longe - o maior país produtor de biogás na UE , com cerca de 105.000 empregos diretos em seu setor de bioenergia. Na Itália , a alta disponibilidade de matérias-primas agrícolas e o amplo uso de gás nas atividades de transporte também foram fortes argumentos a favor da produção de biogás e da purificação para o biometano, para facilitar a realização da meta de expansão das renováveis ​​para o setor de transportes e reduzir a emissões de CO2 do país.

Para acessar o artigo completo do Marc e Carole, clique aqui.

 

Referencias:

https://energypost.eu/biogas-and-biomethane-in-europe-denmark-germany-italy-lead/

https://www.ifri.org/en/publications/etudes-de-lifri/biogas-and-biomethane-europe-lessons-denmark-germany-and-italy