O que é o Projeto Corredor Azul?

Saiba qual é a importância dos corredores azuis na promoção da transição energética no transporte rodoviário, destacando os benefícios econômicos e ambientais da substituição do diesel pelo gás natural e biometano.

O que é o Projeto Corredor Azul?
Foto: Divulgação/ Canva PRO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conceitos
Série de posts “Grânulos do Saber” 

O que é um Corredor Azul?

Além do conceito fundamental, o artigo destaca projetos em andamento em estados como Paraná, Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, abordando os objetivos, as rotas e os impactos esperados dessas iniciativas. Serão ressaltados os esforços para ampliar a infraestrutura de abastecimento de gás natural e biometano ao longo das principais rodovias.

O que é o Projeto Corredor Azul?

Um Corredor Azul é uma infraestrutura criada para permitir o uso de gás natural ou biometano como combustível em veículos rodoviários. Ele recebe esse nome devido à cor da chama do gás quando queimado. O conceito surgiu na Rússia e refere-se a rotas em que caminhões utilizam GNV (gás natural veicular) ou GNL (gás liquefeito) em vez de diesel. Na Europa, esses corredores já existem há mais de duas décadas e têm sido usados para abastecer caminhões e ônibus.

Basicamente, um Corredor Azul é uma rota com pontos de abastecimento de GNV ou biometano. Ter postos de Gás Natural Veicular (GNV) ou Biometano ao longo dessas rotas é essencial para incentivar a transição energética no transporte de cargas pesadas, além de reduzir os riscos de falta de combustível durante o trajeto.

Esses pontos de abastecimento permitem que os caminhões percorram rotas mais extensas sem a necessidade de retornar aos pontos de origem para reabastecimento.

Breve ilustração do projeto Dutra Azul.

Objetivo

Essa é uma política que visa a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEEs) e impulsionar a sustentabilidade no transporte de cargas, o Corredor Azul surge como uma estratégia para promover o uso de gás natural e o biometano em caminhões. Diversas pesquisas têm demonstrado que a substituição do diesel por esses combustíveis pode resultar em uma redução significativa nas emissões em comparação ao diesel.

Principais Benefícios

Benefícios Ambientais - A substituição do diesel por gás natural ou biometano nos caminhões traz diversos benefícios ambientais. Estudos indicam que as emissões de gases de efeito estufa podem ser reduzidas em comparação com o diesel. O uso de biometano, produzido a partir de resíduos orgânicos, apresenta uma redução significativa nas emissões de carbono em comparação com o gás natural convencional.

Viabilidade Econômica - O projeto do Corredor Azul também busca avaliar a viabilidade econômica da implementação do sistema. Isso envolve a análise dos custos de quilômetro rodado, custos da tecnologia e custos da infraestrutura necessária. No início, os caminhões movidos a gás natural tinham um preço um pouco superior aos movidos a diesel, atualmente os valores são equivalentes. Nos projetos de corredores azuis é preciso considerar o investimento na construção da infraestrutura de abastecimento. No entanto, o gás natural é geralmente mais barato que o diesel e requer menos manutenção do motor.

Exemplo de caminhões a GNV / Biometano.

Iniciativas Brasileiras

No Brasil, estão sendo desenvolvidas várias iniciativas relacionadas aos corredores azuis, que visam promover o uso de gás natural e biometano como combustível no transporte rodoviário. Aseguir quator exemplos de iniciativas em alguns estados brasileiros:

Paraná: A Compagas, Companhia Paranaense de Gás, lançou em 2020 o projeto Corredor Azul com o objetivo de ampliar a oferta de gás natural veicular (GNV) para caminhões no estado. Em abril de 2023, o projeto tenta integrar a produção agrícola, o escoamento no porto de Paranaguá e o consumo de gás e biometano no transporte. As primeiras cidades na rota do Corredor Azul foram definidas.

Espírito Santo: A Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP) planeja regulamentar a distribuição de biometano no estado em 2023 e avançar nos estudos de políticas de incentivo à instalação de corredores azuis. Essas rotas garantiriam autonomia para o abastecimento de veículos movidos a gás natural e biometano no transporte rodoviário.

Minas Gerais: A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) inaugurou em abril de 2023 o 63º posto revendedor de gás natural veicular (GNV) como parte do projeto Corredores de GNV. A empresa planeja inaugurar mais 14 postos até 2025, ao longo das principais rodovias mineiras, como as BRs 381 e 494 e MG-050, visando atender a demanda de veículos pesados que cruzam o estado diariamente.

Rio de Janeiro: O governo do Rio de Janeiro está desenvolvendo um plano para transformar a rodovia Presidente Dutra em um corredor de GNV, biometano e hidrogênio. O objetivo é criar pontos de abastecimento de alta capacidade ao longo da rodovia, integrando a oferta e a demanda desses combustíveis, além de possibilitar o escoamento da indústria. O projeto piloto está sendo avaliado, e a ideia é posteriormente ampliar o corredor azul para outros estados do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que inclui São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Esses são apenas alguns exemplos de iniciativas que visam promover a substituição do diesel pelo gás natural e biometano no transporte de cargas, proporcionando benefícios econômicos e ambientais, como a redução de emissões de gases de efeito estufa e a diminuição dos riscos de desabastecimento ao longo das rotas.

Referências consultadas

Série de posts “Grânulos do Saber

O que são grânulos?

Sobre processos anaeróbios, em algumas condições há a formação de estruturas constituídas por micro-organismos anaeróbios, os grânulos anaeróbios.

Essas estruturas (aglomerados de diferentes micro-organismos) possibilitam de forma mais eficiente a transferência de nutrientes e favorecem a sobrevivência da comunidade microbiana.

Esses aglomerados de micro-organismos densamente agrupados contribuem para aceleração do processo de digestão anaeróbia, principalmente em lodos de reatores UASB.

Figura 2 -  Frascos reatores para cultivo de lodo granular anaeróbio.

Os grânulos anaeróbios são esferas muito pequenas e possuem uma vasta comunidade de seres vivos. Atuam na decomposição da matéria orgânica e possibilitam reciclagem de nutrientes.

Figura 3 - Frascos reatores com mistura de grânulos anaeróbios (pontos pretos) e substratos (conteúdo mais claro).

Seguindo o conceito sobre “pequenas pérolas com conteúdo adensado” o Portal Energia e Biogás publica uma série de posts “Grânulos do Saber” -  pequenos posts para contribuir com disseminação de informações sobre processo de produção de biogás.

Acompanhe sempre o nosso conteúdo específico sobre a ciência por trás do processo anaeróbio e produção de biogás.

Em breve novos posts “Grânulos do Saber”.
Até logo!

Para explorar outros conceitos, acesse o nosso Glossário.

Acesse também Biogás no Brasil.

Obrigado e boa leitura!

Confira outras matérias do Portal Energia e Biogás, acesse:

Copyright © 2018 - 2023 Todos os direitos reservados - Portal Energia e Biogás ®. 

AVISO! O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.